Este tutorial foi feito tomando como base o Ubuntu 10.04 de 32 bits. Caso tenha dúvidas ou queira compartilhar o sucesso instalando em outras distribuições, entre em contato pela nossa lista de e-mails.

Passo 1 - Adquindo arquivos

Adquira os arquivos de dependências e fontes do openginga na sessão de arquivos .

$ tar -xzvf  openginga-source-v0.4.3.tar.gz
$ tar -xzvf deps-openginga-source-v0.4.3.tar.gz

Passo 2 - Instalando as dependências

Essa seqüência de passos pode ser substituída pela execução do script OPENGINGA_DEPS/install-deps-openginga.sh. Fazendo isso é possível passar para o passo 3.

Instalando as dependências do aptitude

A maioria delas estão disponíveis nos repositórios do Ubuntu. Para instalá-las, faça:

$ sudo aptitude update
$ sudo aptitude install -y automake subversion git-core build-essential patch libssl-dev libcppunit-dev autoconf libcurl4-openssl-dev libreadline6-dev libexpat1-dev libxerces-c2-dev libmad0-dev libtiff4-dev libkrb5-dev libgpm-dev  x11proto-xext-dev libxext-dev libpng12-dev libjpeg62-dev libfreetype6-dev libavcodec-dev libavformat-dev libxine-dev libxine1 libxine1-ffmpeg libdirectfb-extra libtool liblua5.1-0-dev libzip-dev libzip1 libavcodec-extra-52  libavformat-extra-52 ffmpeg libvorbis-dev

Linux-Fusion

$ tar -xzvf linux-fusion.tar.gz
$ cd linux-fusion
$ git checkout af15f7396d96c5d7079ca75703ccb128065a5196
$ wget http://gingacdn.lavid.ufpb.br/attachments/download/326/fusion_kernel_version.patch
$ patch -Np0 < fusion_kernel_version.patch
$ make 
$ sudo make install
$ sudo depmod -a
$ sudo modprobe fusion
$ sudo chmod 777 /dev/fusion*

Para que comando modprobe seja realizado em toda iniciazação faça os seguintes comandos:

$ sudo su 
$ echo "fusion" >> /etc/initramfs-tools/modules
$ update-initramfs -u
$ exit

DirectFB

$ tar -xvf DirectFB-1.4.5.tar.gz
$ cd DirectFB-1.4.5
$ ./configure --enable-multi --enable-x11 --with-gfxdrivers=none
$ make 
$ sudo make install

FusionSound

Baixar e descompactar o FusionSound

$ tar -xvf FusionSound.tar.gz
$ git checkout 6c9f3e777453b0cdbdf3e1db57ae4bfd7dd922d5 
$ ./autogen.sh
$ make 
$ sudo make install

DirectFB-Extra

O DirectFB-Extra disponível no repositório não está compilada com tudo que precisamos. Então precisamos compilá-lo manualmente:

$ tar -xvf DirectFB-extra.tar.gz
$ cd DirectFB-extra
$ git checkout 9e63dda95c580f72f8b54de7cae79ded76823853 
$ ./autogen.sh
$ make
$ sudo make install

Lua

$ tar -xvf lua-5.1.4.tar.gz
$ cd lua-5.1.4
$ make  linux
$ sudo make install

Lua socket

$ tar -xvzf luasocket-2.0.2.tar.gz
$ cd luasocket-2.0.2
$ make
$ sudo make install
$ sudo ln -s /usr/local/lib/lua/5.1/socket/core.so /usr/local/lib/lua/5.1/socket/libcore.so

Sun J2SE SDK 1.4.2

$ tar -xzf j2sdk1.4.2_19.tar.gz 
$ sudo cp -r j2sdk1.4.2_19 /opt

jlibcpp

$ cd jlibcpp
$ make
$ sudo make install

Flexcm

$ tar -xzf flexcm2.tar.gz  
$ cd flexcm/
$ make
$ sudo make install

Configurando o DirectFB para o X11

Recomendamos utilizar o FrameBuffer em cima do X11. Assim fica mais fácil de debuggar o middleware e/ou as aplicações. Para isto, crie o arquivo ~/.directfbrc com o seguinte comando:

$ echo -e "system=x11 \nmode=960x540 \npixelformat=ARGB \nquiet \nno-debug \nno-trace" >> ~/.directfbrc

O campo system indica que a saída gráfica do DirectFB será em uma janela do X11. Caso queira trabalhar direto no FrameBuffer, modifique para system=fbdev. Já o campo mode, no X11, define o tamanho da janela criada. Utilize o comando dfbdump para verificar se as configurações contidas no arquivo directfbrc foram definidas corretamente pela DirectFB.

Outros parâmetros podem ser especificados e estão disponíveis na documentação do DirectFB.

Passo 3 - Instalando o OpenGinga

Essa seqüência de passos pode ser substituída pela execução do script install-openginga.sh. Fazendo isso é possível passar para o passo 4.

A arquitetura do OpenGinga

Este projeto contém os cabeçalhos que todos os componentes da GingaCDN deve seguir.

$ tar -xzf architecture.tar.gz
$ autoreconf
$ ./configure
$ sudo make install

O codigo do OpenGinga

Para baixar a versão stable do código, faça:

$ tar -xzf openginga.tar.gz
$ cd openginga
$ source env.sh
$ sudo -E make

Passo 4 - Executando o openginga

Depois de algum tempo, ele deve mostrar uma mensagem de sucesso. Para testar, execute-o fazendo:

$ cd openginga/gingacc
$ sudo ./start.sh

Lembrando que, sempre que você for executar o openginga, você já deve ter executado source env.sh ao menos uma vez no mesmo terminal.

fusion_kernel_version.patch (641 Bytes) Álan Livio, 14/09/2010 15:29